Binance expande colaboração com a INTERPOL em cibersegurança na América Latina

2024-01-09

A Binance continua a aprofundar seus esforços em segurança cibernética na América Latina, com colaboração e participação em workshops organizados pela INTERPOL, Ministério Público do Chile, Conselho da Europa, e também pela Polícia Nacional da Colômbia.

Pablo Vera, chefe de Inteligência e Investigações na Binance nas Américas, participou de uma conferência da INTERPOL na República Dominicana, com mais de 50 gestores e líderes de unidades policiais especializadas em segurança cibernética. Na ocasião, ele fez uma apresentação individual e participou de um painel sobre criptomoedas, apoio à aplicação da lei, conformidade e investigações. Além disso, a Binance foi formalmente convidada a se juntar a um grupo de trabalho da INTERPOL para apoiar a aplicação da lei na América Latina.

"Foi muito gratificante ouvir como diferentes chefes de unidades mencionaram exemplos e casos em que a Binance apoiou suas investigações de várias formas, até mesmo além do esperado. Delegações da Costa Rica, República Dominicana e Argentina, por exemplo, falaram sobre nosso rápido e substancial apoio aos seus pedidos e suporte em várias investigações, incluindo emergências", comentou Vera. "É uma grande honra ser convidado a fazer parte destes workshops e conversas operacionais com agências de aplicação da lei em nossos países na América Latina. A Binance continua a dedicar seus recursos para apoiar os esforços das autoridades, comprometida com a luta contra o crime", acrescentou.

A equipe da Binance para as Américas também participou recentemente do workshop regional organizado pelo Ministério Público do Chile e pelo Conselho da Europa, no âmbito do Projeto GLACY+ (Global Action on Cybercrime extended, ou ação global contra crimes cibernéticos ampliada), com representantes de 14 países, onde foram discutidos conceitos sobre ativos cripto e as políticas de AML (prevenção à lavagem de dinheiro) da Binance, com foco especial nos processos e ferramentas desenvolvidas pela exchange para colaborar com as autoridades no combate ao crimes cibernéticos e financeiros.

Essas ações fazem parte do trabalho contínuo da Binance em todo o mundo para aprofundar a inteligência de mercado e ajudar a fortalecer esforços para prevenir, investigar e combater crimes financeiros.

"Garantir a segurança do nosso ecossistema e proteger a comunidade Binance é a base do nosso trabalho. Acreditamos que esta abordagem é o único caminho a seguir no que diz respeito aos ativos cripto. Fiel a esta missão, investimos pesadamente em uma equipe de segurança e conformidade que se alinha a esta prioridade e estabelece o padrão para os provedores de serviços cripto. Trabalhamos todos os dias em conjunto com as forças da lei para rastrear e localizar contas suspeitas e atividades fraudulentas, contribuindo para a luta contra os crimes cibernéticos e financeiros. Ao iniciar nossas próprias investigações e trabalhar com os principais corpos policiais para proteger os usuários, nosso objetivo é liderar a indústria em termos de segurança e conformidade", concluiu Vera.

Em 2023, a Binance organizou e participou de mais de 120 treinamentos e workshops presenciais e remotos com a polícia e as promotorias em todo o mundo, inclusive na América Latina. Além disso, as equipes de investigação da Binance responderam a mais de 58.000 pedidos das autoridades. Até agora, a Binance já ajudou as autoridades a congelar e confiscar o equivalente a mais de um bilhão em USDT como parte de suas colaborações públicas e privadas para dissuadir e capturar atores mal-intencionados neste espaço.