Compre Cripto
Pagar com
Mercados
NFT
Feed
Downloads
English
USD

Entenda qual a relação do metaverso com o Bitcoin

2022-06-06

Todos que acompanham o avanço da era digital já devem ter se deparado com a palavra metaverso. O termo começou a ser utilizado em 1990 e ficou famoso quando Mark Zuckerbeg, dono do Facebook, renomeou a plataforma para Meta. Mas não foi apenas uma mudança de nome.

Esse movimento da rede social também impulsionou o uso de Bitcoins, graças à inclusão de criptomoedas em jogos virtuais e outras funções da plataforma.

A média de aumento da utilização das moedas digitais no metaverso em 2021 foi alta e só tende a crescer. Uma coisa é certa: o metaverso vem para revolucionar. Já alterou a movimentação das criptomoedas positivamente em pouco tempo e ainda tem muito a acrescentar.

Logo, para quem tem o interesse no investimento em Bitcoin, é importante saber a relação do metaverso com a moeda. Para saber os detalhes, acompanhe o post!

O que é metaverso?

O ano era 1992 quando o autor de ficção científica, Neal Stephenson, surgiu com o termo metaverso. Em sua obra chamada Snow Crash, o protagonista do livro Hiro Protagonist era um samurai poderoso no metaverso, enquanto, na vida real, trabalhava entregando pizzas.

Com o passar do tempo, a denominação continuou sendo usada até por Steven Spilberg, em Jogador Número 1. A ideia utilizada por Spilberg era semelhante, onde tudo acontece dentro do OASIS, um meio virtual de interação entre os personagens, criando uma realidade distópica.

Como o metaverso é aplicado atualmente?

O metaverso é uma palavra antiga dentro da ficção científica, muito utilizada nos anos 90, conforme explicado. Hoje em dia voltou à popularidade com a mudança no nome do Facebook para Meta, em 2021. Metaverso significa um meio virtual onde ocorre o contato entre usuários, com o objetivo de se assemelhar à realidade. Uma tradução aplicável é: além do universo.

O funcionamento do metaverso consiste na interação entre VR, que é a realidade virtual, e VA, a realidade aumentada. Essa combinação cria um ambiente semelhante à vida real, mas ambiente ainda está em evolução e a estimativa é que se desenvolva cada vez mais.

Web 2.0 e 3.0

O objetivo é chegar ao ponto em que algumas atividades que realizamos presencialmente sejam possíveis de serem feitas de maneira cada vez mais real digitalmente, como encontro com amigos, apresentações artísticas, entre diversas outras atividades, criando um espaço virtual extremamente interativo e imersivo.

Hoje em dia ainda lidamos com a Web 2.0, em que tudo é feito de maneira centralizada por grandes empresas e por intermédio de smartphones e notebooks. Com o avanço dos meios digitais, a intenção é chegar à Web 3.0 em que, assim como as criptomoedas, tudo é feito de maneira descentralizada. O metaverso já é um passo inicial para esse movimento de avanço da internet.

O metaverso está muito presente nos games e a estimativa é de maior crescimento. Artistas já estão começando a direcionar grandes eventos para o metaverso, o que já foi feito por Foo Fighters, Travis e Ariana Grande.

O que é Bitcoin?

O Bitcoin é um tipo de moeda digital criada em 2008 por Satoshi Nakamoto, que não sabemos ainda se é um programador ou um grupo de programadores, pois ele criou a moeda, fortaleceu e depois desapareceu das redes sem deixar registros. O primeiro intuito da criação do Bitcoin foi para compras. Logo, tornou-se presente no campo de investimentos.

Uso do Blockchain

Essa criptomoeda é criada dentro do sistema de blockchain, que é feito por criptografia, um meio de rastrear as transações, criando uma base de dados para registro das operações. Todas elas são feitas de maneira digital e descentralizada. Isso significa que não tem controle do governo como as moedas físicas.

Bitcoin atualmente

Hoje, o Bitcoin é amplamente utilizado e considerado um ouro digital, com o seu exponencial crescimento nos últimos anos desde sua criação. Tornou-se mais rentável do que grandes empresas mundialmente reconhecidas.

Valorização da moeda

Essa valorização acontece ainda mais pela alta procura e pela escassez, tendo em vista que tem o máximo de 21 milhões de moedas para criação e, depois disso, não haverá novas. O número já está na média de 18 milhões.

Mineração de Bitcoins

É um meio inviolável, seguro e não rastreável de transação. Isso porque existe o trabalho constante para a mineração das moedas, sendo uma atividade muito bem recompensada que funciona 24h, sendo feita com a utilização de computadores de grande potência para aguentar o processamento.

Afinal, qual a relação entre metaverso e Bitcoin?

A relação entre esses dois adventos da tecnologia não é surpresa, já que ambos são fortes meios digitais. Logo, o metaverso terá relação profunda com os tipos de criptomoedas presentes no mercado, como o Bitcoin.

Em casos de jogos famosos isso já acontece, como no Sandbox e Axie Infinity, em que existem tokens conquistados dentro do jogo por meio de missões específicas que se transformam-se em criptomoedas. Logo, as negociações são feitas de modo exclusivo nessa moeda. Esses tokens são chamados NFTs, que servem como forma autentificar o registo de propriedades de um bem digital único. O NFT é a forma mais presente de economia dentro do metaverso.

O que é NFT?

O NFT ou non-fungible token, é um token não fungível, ou seja, é um token criptografado que não pode ser cambiado por algo do mesmo valor. São consideradas as obras de arte digitais, porque não podem ser trocadas por algo semelhante, sendo únicas.

Por exemplo, um Bitcoin, quando é trocado por outro Bitcoin do mesmo valor, continua igual. Um NFT, assim como uma obra de arte, é único. Se uma obra de arte for trocada por uma semelhante, mesmo assim não terá o mesmo valor. Elas também são protegidas pelo sistema de blockchain, tornando a operação segura e inviolável.

Como o metaverso vai impactar socialmente?

A presença do metaverso promete alterar questões até relacionadas ao cotidiano que vivemos. Isso será ainda mais possível quando aumentar a presença de óculos de realidade virtual entre todas as pessoas, sendo tão normais quanto o uso de smartphones.

Economia digital metaverso

Quando essa democratização acontecer, será ainda mais possível a interferência do metaverso no nosso dia a dia, resultando em um grande impacto entre as relações sociais.

Não será mais necessária a presença física para shows, exposições de artes, campeonatos, viagens e aulas, pois elas poderão ser feitas no meio digital no Bitcoin, com o meio de pagamento sendo feito pelo uso dessa moeda digital, impulsionando muito mais a economia digital.

Logo, será possível comprar artes, serviços, veículos e até terrenos virtuais, o que já acontece, como no caso em que um foi comprado por R$ 13 milhões no jogo Decentraland, em 2021.

Grandes empresas no metaverso

Com o aumento do metaverso Bitcoin está cada vez mais comum a presença de grandes empresas tecnológicas. Não foi só o Facebook que se aproveitou desse movimento, responsável pelo início das discussões sobre o Meta em 2021.

Microsoft

Empresas como a Microsoft acompanharam o crescimento do meio digital para não ficar por fora das evoluções tecnológicas. A Microsoft já lançou a Mesh nesse meio, que é uma plataforma destinada para reuniões feitas com hologramas.

Nvidia

A Nvidia também acompanhou a movimentação, desenvolvendo a plataforma voltada para simulação corporativa, o Nvidia Omniverse.

Grandes marcas de moda: Nike, Gucci, Adidas e Prada

As marcas de moda também não podem deixar de acompanhar as tendências, logo, a Nike criou a Nikeland, utilizando NFTs da área de moda. Assim como foi feito por grifes como Gucci e Prada.

A collab entre Prada e Adidas também lançou o sportwear de luxo com NFTs no metaverso, com a coleção Re-Nylon. Logo, a expectativa é cada vez maior crescimento de novidades no metaverso.

Como ingressar no metaverso?

Para não deixar de acompanhar essa grande movimentação da tecnologia, investir dentro do metaverso é essencial. Isso pode ser feito de forma simples, sem necessidade de grandes investimentos em NFTs e óculos de realidade virtual. Pode ser iniciado comprando criptomoedas, como o Bitcoin, presentes no metaverso. Esse ato pode ser realizado em exchanges especialistas em Bitcoins de maneira segura e eficiente.

Com o avanço dos meios tecnológicos o metaverso vem crescendo cada vez mais, iniciando com o boom do Facebook e a criação do Meta. Depois teve o metaverso Bitcoin, quando a moeda digital começou a ser utilizada dentro do ambiente. A economia digital vem crescendo exponencialmente com a presença dos NFTs para troca por obras de arte e até terrenos virtuais.

Com esse movimento, as grandes marcas não querem ficar por fora da evolução. Grandes empresas como Microsoft, Nvidia e marcas de moda como Nike, Gucci, Prada e Adidas vêm investindo em desenvolvimento de produtos e serviços dentro do metaverso.

Logo, considerar como iniciar nesse novo mundo digital é fundamental para acompanhar seu crescimento e não ficar para trás. Isso pode ser feito de forma simples, comprando Bitcoins dentro desse sistema de maneira prática e ágil com a ajuda de exchanges especialistas nessa moeda digital.

Gostou do conteúdo? Então compartilhe agora mesmo o artigo em suas redes sociais para que mais pessoas tenham acesso ao conhecimento!