Compre Cripto
Pagar com
Mercados
NFT
Feed
Downloads
English
USD

Elencamos as principais diferenças entre CeFI e DeFI

2022-08-29

De modo geral, as pessoas precisam conhecer bem os serviços financeiros, se desejam fazer bom uso deles. Esses serviços envolvem empréstimos, financiamentos, transferências, open banking e outros.

E se você deseja se aventurar no mundo das criptomoedas, também precisa entender dois conceitos fundamentais: CeFi e DeFi.

Neste post, você vai ler tudo sobre esses dois termos: o que são, vantagens e desvantagens de cada um, principais diferenças e outros aspectos relevantes.

O que são CeFi e DeFi e como funcionam?

Vamos começar analisando o que são CeFi e DeFi. Para investir em criptomoedas e escolher uma dessas opções, é importante ter o conhecimento necessário sobre o assunto.

CeFi

CeFi significa Finanças Centralizadas. Em uma instituição centralizada, as transações acontecem por meio de uma central de câmbio. Isso significa que uma corretora central mantém controle sobre os fundos.

Em uma plataforma CeFi, o cliente não tem uma chave privada que permite acesso à carteira. Dessa forma, o investidor corre o risco direto de a corretora sofrer invasão de hackers ou tomar decisões que vão de encontro ao seu interesse.

Nas Finanças Centralizadas, a própria plataforma decide quais serão as moedas inclusas na negociação e quais serão as taxas que deverão ser pagas para utilizar as funcionalidades.

Dessa forma, o investidor não tem domínio quando negocia criptomoedas usando uma exchange centralizada. Ele fica também sujeito às regras que a plataforma define para os que participam dela, incluindo limites de saque, restrições de volume de negociação, procedimentos de KYC (verificação de identidade), entre outras.

DeFi

A plataforma de Finanças Descentralizadas, por outro lado, não precisa que nenhum mediador (instituição centralizada) disponibilize serviços de transação de criptomoedas.

As Exchanges descentralizadas (DEX) apresentam natureza peer to peer (de pessoa para pessoa), ou seja, compradores e vendedores se conectam diretamente, sem a necessidade de intermediários, como bancos, por exemplo. Os processos em uma corretora DeFi são organizados de forma automática, recebem controle e tratamento de contratos inteligentes, que são armazenados na blockchain e automaticamente impõe ações específicas, toda vez que uma condição pré-determinada é executada.

As redes DeFi têm a finalidade de criar um sistema financeiro global que atua com transparência e eficácia, no qual qualquer pessoa pode participar, mesmo sem conta bancária. Dessa forma, é possível ter acesso, de qualquer lugar do mundo (até mesmo os mais remotos e carentes), a serviços financeiros de boa qualidade.

As plataformas DeFi procuram desenvolver um ecossistema financeiro rastreável, de código aberto, onde qualquer pessoa que tem carteira pode participar.

O DeFi tem controle pleno sobre os ativos digitais, sendo a única parte que tem posse da chave privada da carteira. Os usuários acessam os serviços DeFi por meio de aplicativos descentralizados com hospedagem na blockchain.

Quais são as principais vantagens do CeFI?

CeFi e DeFi têm vantagens e desvantagens. Vamos iniciar considerando os pontos positivos de cada uma. Em relação ao CeFi, o controle das autoridades centrais permite que as plataformas centralizadas ofereçam aos usuários uma experiência mais agradável e intuitiva.

O CeFi disponibiliza uma diversidade maior de serviços bancários convencionais, com suporte para aquisição de dinheiro fiduciário para criptoativos e de criptoativos para dinheiro fiduciário, envolvendo conversões de real, euro, dólar e outras moedas.

As plataformas da CeFi têm soluções de armazenamento para gestão de riscos, assegurando proteção para fases de recuperação, chaves privadas e endereços de carteira.

As finanças centralizadas também precisam seguir requisitos de conformidade parecidos com aqueles aplicados no setor bancário, como o KYC (Know Your Customer, Conheça Seu Cliente) e AML (Anti-Money Laudering, Anti-Lavagem Dinheiro).

O KYC requer esforço dos profissionais para analisar os riscos e a idoneidade para manter uma boa relação comercial. O AML, por sua vez, reúne práticas que envolvem a geração de renda por caminhos ilegais.

Quais são as principais vantagens do DeFI?

As plataformas DeFi apresentam protocolos permissionless (em que qualquer pessoa pode participar e interagir na rede) e modelos de negociação P2P, na qual a necessidade de um intermediário é dispensada.

Nas finanças convencionais, os negócios se sujeitam à autorização das instituições financeiras. As redes DeFi se abrem a qualquer um, sem que seja necessária a solicitação e a obtenção de permissão de um órgão centralizado.

Devido à utilização da tecnologia contábil distribuída, os serviços DeFi permitem que todas as transações fiquem visíveis para todos os membros de forma pública. Podemos destacar algumas características que representam vantagens do sistema. Veja a seguir.

Controle

Permite controle aos usuários, de forma que eles se mantêm como guardiães dos ativos. Desse modo, ninguém tem possibilidades de monitorar, movimentar ou acabar com as posses deles.

Transparência

Os investidores conseguem ter conhecimento sobre as regras que regulamentam as operações dos ativos. Isto vai contra os back-deals, acordos privados e centralizações, que limitam significativamente a transparência.

Acessibilidade

Desde que tenha computador e acesso à internet, qualquer um tem condições de atuar com a DeFi.

Quais são as desvantagens do CeFi?

Como todas as coisas têm dois lados, é natural que CeFi e DeFi também tenham prós e contras. Quando falamos de CeFi, existe a falta de controle pleno sobre os fundos. Assim, as pessoas que não têm conta bancária não podem usufruir de suas soluções, uma vez que não conseguem entrar em sistemas financeiros que apresentam controles rigorosos de regulamentação.

Quais são as desvantagens do DeFi?

A falta de uma plataforma centralizada favorece as fraudes e fomenta pouca responsabilidade. Quando se perde o endereço de chaves privadas ou carteira profissional, há perda de ativos porque não existem intermediários para recuperá-los. Também há o risco de exploit, ou seja, vulnerabilidade em excesso no código de protocolo. Uma consequência é a aplicação de golpes ou a perda dos fundos.

Outra coisa que pode acontecer é a Perda Impermanente (Impermanent Lost), evento de finanças descentralizadas que se dá quando existe uma discrepância entre o valor de um ativo em um pool de liquidez e o valor desse ativo fora desse pool.

Sempre que os preços dos tokens que formam o LP Token sofrem um desbalanceamento abrupto de um para outro, o risco de acontecer perda impermanente aumenta. Um exemplo dessa situação é: o Token A se valoriza/desvaloriza 70% e o Token B se valoriza/desvaloriza 5% em um mesmo período.

Daí a necessidade de criar “fazendas” (farms) de tokens que mantenham alguma relação entre si, pois isso melhora as chances de os tokens subirem e descerem com sincronia, reduzindo o perigo de Impermanent Lost.

Quais são as principais diferenças entre CeFi e DeFi?

Comparando CeFi e DeFi, a principal diferença é em quem o investidor confia mais: na tecnologia ou nas pessoas. No CeFi, os investidores depositam confiança em instituições e em pessoas para realizar transações em seu nome, gerenciar negócios e fundos. No DeFi, eles confiam na tecnologia blockchain para efetivar e administrar serviços oferecidos pelos protocolos sem centralização. A seguir, definimos algumas diferenças básicas entre CeFi e DeFi.

O CeFi:

  • Trabalha com câmbio centralizado.

  • Oferece mais flexibilidade que os serviços descentralizados para converter fiat em criptomoeda e criptomoeda em fiat.

  • Oferece suporte à transação de redes cruzadas, como XRP, LTC e BTC e outras moedas que as plataformas independentes de blockchain emitem.

O DeFi:

  • Dispensa permissão para uso.

  • O investidor confere autenticidade ao desempenho dos serviços de Finanças Descentralizadas ao auditar o código e aplicar ferramentas externas para identificar se o negócio foi realizado corretamente.

  • Oferece construção contínua e implementação de novas capacidades.

Qual é a importância da regulação?

A regulamentação proporciona mais segurança às instituições financeiras. Mas, por outro lado, muitas regras podem restringir os lucros e a liberdade. As atividades de compliance e as regulamentações bancárias (capital, reserva, liquidez), por exemplo, não fazem parte das Finanças Descentralizadas.

Os regulamentos não têm o potencial de acompanhar as inovações, que ocorrem com maior velocidade. Porém, cedo ou tarde, eles acabam aparecendo.

O desenvolvimento intenso do mercado financeiro agilizou o exame regulamentar por parte das autoridades financeiras. Considerando o processo legislativo que se desenvolve no decorrer do tempo, é possível prever que a regulamentação do DeFi vai gerar aumento dos custos operacionais e redução consequente dos lucros.

Agora, você entende melhor os principais aspectos relacionados a CeFi e DeFi, e já pode definir sua preferência para continuar sua jornada no mundo das criptomoedas.

A propósito, qual a sua opinião sobre os criptoativos? Já conhecia as Finanças Centralizadas e as Finanças Descentralizadas? Qual sua opinião sobre elas depois de ler este post? Convidamos você a interagir conosco além do blog. Venha conhecer nossas redes sociais. Siga-nos no Facebook, no Instagram, no Twitter e no YouTube!