Compre Cripto
Pagar com
Mercados
NFT
New
Downloads
English
USD

Saiba tudo sobre a Binance Smart Chain

2021-04-29

A Binance é considerada a maior corretora de criptomoedas (exchange) do mundo, em volume de negociação. Sua moeda, a BNB Coin, já ocupa o terceiro lugar no ranking de criptos, por capitalização de mercado.

Com sua enorme ascensão dentro do ecossistema da criptografia, seu fundador, o chinês  Changpeng Zhao, popularmente CZ, resolveu lançar a própria blockchain da Binance em 2018, a Binance Chain. Blockchain é a tecnologia revolucionária que permite a existência das criptomoedas e outros produtos da criptografia serem usados de modo válido e legítimo. Ela é uma espécie de registro virtual que não pode ser alterado. 

Binance Chain 

O intento inicial por trás da Binance Chain, era fornecer ao mercado de criptos uma blockchain de alta velocidade e com baixos custos de funcionamento. Para isso, a Binance escolheu ter o funcionamento de sua blockchain no termo de consenso tendermint, que funcionava com a velocidade planejada, mas se restringia ao funcionamento do aplicativo Binance Dex, para a operações financeiras. 

Como, desde o início, o projeto da Binance Chain visava superar a plataforma da Ethereum, a qual opera com altos custos, a blockchain ainda ficava aquém de sua antecessora, visto que, a primeira plataforma não apenas possibilita operações de DeFi, isto é, finanças descentralizadas, mas também a criação dos contratos inteligentes (smart contracts), além dos DApps (aplicativos inteligentes).

Binance Smart Chain (BSC)

Ao invés de comprometer a velocidade de seu funcionamento, usando uma única blockchain, como é o caso da Ethereum, para operar tanto finanças quanto outras funções, a Binance preferiu criar uma outra cadeia (chain) para, em paralelo a Binance Chain, atuar com outras funcionalidades inteligentes (smart). Então, em 2020, foi lançada a Binance Smart Chain.  

A Binance Smart Chain não é uma cópia idêntica da blockchain Ethereum, embora seus produtos sejam compatíveis com essa. Uma das diferenças básicas está nos modelos de consenso, para validação das transações, que as duas utilizam. A Ethereum faz uso da proof-of-work (PoW), enquanto a BSC utiliza um modo ainda mais desenvolvido, chamado de modelo de proof-of-stake-authority (PoSA). É esse modelo PoSA que capacita a rede a operar com baixas taxas e alta velocidade.

 

Compatibilidade Cross-Chain

Como a BSC, diferente da rede Ethereum, foi desenvolvida como um sistema independente, e ao mesmo tempo interligado com as finanças da Binance Chain, criou-se para ela, uma arquitetura capaz de possibilitar aos usuários transferirem com facilidade ativos digitais de uma blockchain a outra, a Dual-chain.

CeDeFi

CZ, o CEO da Binance, prefere chamar esse sistema financeiro, que opera por meio da BSC, de finanças semicentralizadas (do inglês “Centralized” Decentralized Finances). Para ele, o termo é mais sincero, visto que sua empresa é um centro que possibilita transações financeiras menos centralizadas por poderes paralelos, como os dos governos ou bancos tradicionais. 

Swaps e Rendimentos Passivos 

Existem vários protocolos  DeFi com base na Binance Smart Chain, o  mais popular deles é o PancakeSwap (Cake). Criado como uma plataforma DEX (da sigla em inglês para exchange descentralizada). Ele é um dos vários swaps (câmbios) da plataforma BSC para trocas entre tokens. Sua produção anônima é um dos benefícios da criptografia

 

O Cake também possui a capacidade de fazer farming, que na criptosfera é uma forma de emprestar tokens para obter com isso renda passiva, de maneira um pouco análoga, para facilitar a explicação, ao que acontece com os investimentos nos títulos do tesouro direto, nas finanças tradicionais. 

Existem ainda outras várias possibilidades de utilizar o Cake para aumentar seus rendimentos em criptos como: loteria, staking, além de ganhar colecionáveis de NFTs

Para saber mais sobre a BSC e seus vários benefícios, ou se já deseja usufruir do mercado das criptos, cadastre-se na plataforma Binance e já comece a experimentar o futuro dos investimentos e das finanças globais. 

Gostou do artigo? Fique por dentro de outros conteúdos que selecionamos abaixo: